.



 
 

RISCO de mercado

 

DEFINIÇÃO

Risco de mercado é definido como o potencial de resultado negativo, devido a mudanças nos preços ou parâmetros de mercado. Os principais preços / parâmetros são preços de ações, curvas de juros, taxas de câmbio, volatilidades e correlações.

O “Value at Risk – V@R” é a metodologia usada para a medição do risco de mercado. O “V@R” representa o valor de perda potencial, cuja expectativa é não ocorrer em X% dos dias de negociação, onde X% é definido como intervalo de confiança. O Banco Caixa Geral Brasil SA (BCGBr) adota um intervalo de confiança de 99% para um horizonte temporal de 10 dias.

Deve ser ressaltado que o V@R não representa uma medida ampla do risco de mercado de um livro. O V@R não fornece uma indicação das perdas potenciais em casos extremos. Desta forma é necessária a realização de simulações de estresse nas carteiras.

ESTRUTURA DO CONTROLE DE RISCO DE MERCADO

A Gestão do Risco de Mercado é feita por unidade independente das áreas de negócios do BCG-Brasil, subordinada ao Diretor de Riscos – estatutário, e alinhada com os princípios, práticas e políticas adotadas pela matriz. A garantia de uma participação ativa da Alta Administração nos temas relativos à Risco de Mercado se dá através de:

 

·         Relatórios de uso e consumo de limites;

·         Comitê de Risco de Mercado;

·         Reuniões do Conselho de administração.

 

Os principais intervenientes / contribuidores na atividade diária de gestão de riscos são:

 

· Risco de Mercado: cálculo de risco de mercado e pela captura independente dos preços utilizados, além da apuração dos valores em risco e monitoramento de limites autorizados.

 

· Tesouraria: responsável pela execução de operações com o mercado e gestão das exposições em risco, observando as estratégias definidas e os limites autorizados.

 

·  Operações: responsável pela confirmação independente, formalização, registro, liquidação de operações e pela garantia da abrangência, consistência, integridade e confiabilidade das bases de dados.

 

· Controladoria: responsável pela operacionalização da segregação gerencial de carteiras e pela apuração e acompanhamento do resultado contábil e gerencial a mercado das operações.

 

MONITORAMENTO

A Área de Gestão de Riscos monitora todas as exposições associadas ao risco de mercado do BCG Brasil. Isso inclui as posições proprietárias, as atividades com clientes e a gestão do caixa do banco. A íntegra das posições registradas no Balanço Contábil da instituição financeira, portanto encontrar-se sob supervisão.

Os fatores de risco monitorados são:

·         Moeda estrangeira;

·         Juros na moeda local e estrangeira;

·         Volatilidade.

Essas exposições são monitoradas através de um sistema que captura as informações, processa e gera as variáveis de controle. Um processo de conciliação garante a qualidade das informações capturadas e geradas. Excessos de exposição em relação aos limites estabelecidos são reportados para Diretoria Executiva, Matriz e para a área que gerou o excesso. Medidas mitigadoras e exposição de motivos para o excesso são solicitadas pela área de Riscos.


LIMITES

A definição de limites de risco de mercado segue o seguinte roteiro:

·         Definição dos valores objeto de estabelecimento de limites pela Matriz;

·         Proposição de valores para o conjunto de limites definidos pela Tesouraria;

·         Avaliação e emissão de parecer sobre os valores propostos para os Limites pela Área de Risco de Mercado;

·         Avaliação dos pedidos pela Diretoria Executiva;

·         Avaliação e emissão de parecer pela Área de Riscos da Matriz;

·         Aprovação dos limites pelo Conselho de Administração da CGD.


NOVAS ATIVIDADES

É norma interna do BCG Brasil condicionar a negociação de novos produtos a uma aprovação das diversas funções de controle. Requer-se que o patrocinador do novo produto ou atividade convoque um comitê de aprovação que deve incluir um representante da Área de Risco de Mercado.

Por sua vez este representante, tem a missão de verificar que os riscos de mercado inerentes à nova atividade são passíveis de monitoramento e possuem limites já estabelecidos. O documento de aprovação deve conter uma análise detalhada sobre os riscos de mercado. Os pedidos de desenvolvimento tecnológicos, eventuais limites a serem definidos e demais condições necessárias ao controle dos riscos de mercado devem constar no documento (ficha produto).